ESTA SEMANA

  

 

Teatro

Teatro        Dança        Música        Passagem de Ano

5 Dezembro

Stand up comedy
1994

Segunda . 21h30
10€

“O que é o ‘1994’? É um produto de uma geração que vive numa permanente autovigilância egocêntrica em que anónimos como eu oferecem a sua privacidade para ganhar relevância. Isto é sério? Nem tanto - é apenas a justi cação pseudointelectual que é exigida em qualquer espetáculo assinado por alguém com óculos de massa. O que posso revelar é que vou falar ao coração dos millennials através dos meus preconceitos, incongruências, desventuras e vícios. Em última análise, quero muitas risadas e fama eterna.” Manuel Cardoso
80’; M/16

 

14 Dezembro

E AGORA? – ESPECIAL NATAL

Quarta . 21h30
O público é quem manda no preço:
Os Paus são amigos – 8€ Os Paus são justos – 10€
Os Paus agradecem – 12€

Os Paus Mandados estão de volta e apresentam “E Agora? Especial de Natal!”, um espetáculo de comédia extremamente interactivo. Ah, e improvisado! Três atores improvisam diversas cenas baseadas em sugestões do público. Parece simples, não é? Não. Tudo depende de vocês! O público lança dois dados gigantes (de 75 cm de lado, pronto) e sugere, a partir do que lhe dita a sorte, inspirações para lhes di cultar a vida. O pianista toca e os atores jogam, sem batota, sozinhos ou com voluntários da plateia (sim, que isto não é só mandar). Tudo é criado no momento, sem guião nem cenas previamente combinadas. Estão prontos? Em 3, 2, 1... E AGORA?

Interpretação: Gonçalo Froes, Inês Melo e João Maria; Pianista convidado: Afonso Carvalho; Cenogra a e Figurinos: Os Paus Mandados; Música: Paulo Seixas; Voz O : André Couceiro; Apoios: Quinta Brejinho da Costa, Casa de Giz e Act 4all; 80’; M/16

Dança

Teatro        Dança        Música        Passagem de Ano

29 Novembro a 3 Dezembro

Festival
INSHADOW

A programação do Festival InShadow revela o melhor na área da criação artística transdisciplinar, nas áreas do vídeo-dança, performance e instalação. As Sessões de Competição Internacional de Vídeo-Dança apresentam 44 filmes de 21 países de múltiplas histórias, num desejo comum de chegar à essência da união entre o ecrã e o corpo em movimento. O Júri Oficial da Competição Internacional atribui três prémios - Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Interpretação, com o patrocínio do prémio Schweeps Portugal. O público vota o Melhor Filme e a equipa da Vo’Arte o Melhor Filme Português. O Júri Escolas destaca o Melhor Filme Internacional e o Melhor Realizador Português, este com o patrocínio da Herdade da Comporta.

Mais informações

29 Novembro a 2 Dezembro

Festival
Competição Internacional de Vídeo Dança

Terça a sexta . 21h30
Entrada Livre

Sessão #1 - 29 Novembro - 21.30
Sessão #2 - 30 Novembro - 21.30
Sessão #3 - 1 Dezembro - 21.30
Sessão #4 - 2 Dezembro - 21.30
M/6
Presença de realizadores e coreógrafos internacionais.

3 Dezembro

Performance
THERE IS NO HERE, HERE

Sábado . 21h30
10€

De Gisle Martens Meyer
Espanha, Alemanha, Noruega
60min; M/12
Conversa com o público no final da performance

CERIMÓNIA DE ENTREGA DE PRÉMIOS

Sábado . 22h30
Entrada Livre

60’
Com a presença do Júri Oficial, Documentário, Júri Escolas, realizadores e patrocinadores.

3 Dezembro

Festa com DJ Set
LE CIRQUE DU FREAK
Portugal

Sábado . 23h30
Entrada Livre

Música

Teatro        Dança        Música        Passagem de Ano

10 Dezembro

TERMÓMETRO - FINAL

Sábado . 22h00
5€

Depois de bandas e músicos como os Ornatos Violeta, Blind Zero, Alex D’Alva Teixeira (dos D’Alva), Dj Ride, Silence 4, Noiserv, Marvel Lima, Capicua, Quelle Dead Gazelle, B Fachada ou You Can’t Win Charlie Brown, chegou a vez das melhores 5 bandas da edição deste ano ficarem na história do mais antigo festival de música moderna de Portugal: o Festival Termómetro. A final é dia 10 no Teatro do Bairro.

 

15 Dezembro

BEATRIZ PESSOA – “INSECTS”

Quinta . 22h00
5€

Cantora e compositora de registo intimista, fresco e suave, Beatriz Pessoa tece os seus temas originais no universo da pop e do jazz. Fazendo-se acompanhar por um grupo de músicos talentosos que desde cedo fazem parte do seu percurso, Beatriz apresenta em concerto o seu primeiro EP, “Insects”.

Baixo: João Hasselberg; Bateria: João Lopes Pereira; Teclados e voz: Margarida Campelo.

 

17 Dezembro

BENSHEE
“THERE’S A WORLD OUTSIDE THAT DOOR”

Sábado . 22h30
5€

Os Benshee são de Alenquer e surgiram em 2006. Em 2009 editaram o Ep “Waiting for the lights”. Agora surge o tão aguardado álbum “There’s a world outside that door”, 10 temas pop/rock para ouvir de seguida que não irão deixar ninguém indiferente. Uma sonoridade “british” com o uso de alguns sons eletrónicos. Também os pianos “saltitantes” cheios de efeitos continuam presentes neste que é o álbum de estreia da banda..

Passagem de Ano

Teatro        Dança        Música        Passagem de Ano

31 Dezembro

FIM DE ANO COM OS D.M.A.

Sábado . 23h30
Venda antecipada (até dia 30 Dezembro): 10€* No próprio dia: 15€*
Portadores de Cartão de Amigo: 50% de desconto * com direito a passas e flute de champanhe

Passagem de ano é com os D.M.A., garantia de festa absolutamente histórica e inesquecível!! A incrível dupla de DJs cumpre a tradição e volta ao Teatro do Bairro na noite mais longa do ano para pôr toda a gente feliz e a dançar até de madrugada!! Garanta a sua entrada antecipadamente, bene ciando do desconto no bilhete e evitando as las à porta na grande noite. Os dias e horários da pré-venda serão divulgados em breve. Além dos D.M.A., o Teatro do Bairro tem ainda muitas surpresas para esta festa, que irá revelar ao longo do mês de dezembro. Adira ao evento “Fim de Ano com os D.M.A.” na página de facebook do Teatro do Bairro, e saiba todas as novidades em primeira-mão. Venha brindar connosco, comer as 12 passas e despedir-se de 2016 a cantar, a dançar e a rir até não poder mais!! Viva o Fim de Ano no Teatro do Bairro!! Viva 2017!! Vivam os Di-Éme-HEY!!!

O Teatro do Bairro

O Teatro Bairro        Cartão de Amigo

Situado em pleno Bairro Alto, na Rua Luz Soriano, nº 63, o Teatro do Bairro ocupa o espaço onde durante décadas funcionou a rotativa do Diário Popular, mesmo ao lado da Escola de Música do Conservatório Nacional. Inaugurado em 2011, foi um marco no percurso artístico da Ar de Filmes - produtora de teatro e cinema que o adquiriu - criando assim um diálogo direto e permanente com o seu público, abrindo ainda caminho para a fidelização de novos espectadores. Sob a direção do produtor Alexandre Oliveira e do encenador António Pires, funciona, por um lado, como a casa das criações artísticas da Ar de Filmes e da sua companhia de teatro e, por outro, como espaço de acolhimento de pequenas estruturas que, não tendo lugar nos grandes teatros municipais da cidade, não teriam onde apresentar os seus espetáculos. A par das propostas de acolhimento, estabeleceram-se ainda protocolos de intercâmbio com estruturas de outras zonas do país, que prevêem o acolhimento anual de, pelo menos, uma produção dessas companhias no Teatro do Bairro e vice-versa. São exemplos destes intercâmbios a Ao Cabo Teatro (do Porto, com direção artística de Nuno Cardoso) e o Teatro da Terra (de Ponte de Sor, com direção artística de Maria João Luís).

O interesse da abertura do Teatro do Bairro para a cidade não se esgota, no entanto, no projeto artístico da Ar de Filmes. Localizado num local histórico de fruição artística por excelência, proporciona também o convívio entre diferentes artes performativas contemporâneas, com uma programação plural e abrangente que garante a circulação de diferentes artistas e públicos. Desenvolvemos as nossas próprias produções, mas acolhemos também espetáculos de outros criadores de teatro, e ainda de música, cinema e dança. Acreditamos que a programação interdisciplinar que praticamos, incrementada na nossa própria criação, promove trocas e contaminações desejadas, que enriquecem todos os intervenientes. Criámos em Lisboa uma nova sala de teatro, uma nova sala de cinema, uma nova sala de concertos, um novo espaço de tertúlia e um novo local de encontro dos cidadãos com as diferentes artes e os seus criadores.

Seja bem-vindo ao Teatro do Bairro!

Visite também o site da Ar de Filmes

Cartão de Amigo

O Teatro Bairro    Cartão de Amigo     Ficha de Adesão

O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro atribui um desconto de 50% em todos os eventos e espetáculos, sendo que o preço mínimo a pagar por bilhete é sempre de 5€ (cinco euros). O desconto é feito mediante a apresentação do cartão na bilheteira e não é acumulável com outros descontos em vigor. O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro tem um custo de 10€ e é válido durante 12 meses. A adesão faz-se na bilheteira do Teatro do Bairro.

Regulamento

1 - O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é emitido pela Ar de Filmes e visa atribuir um desconto de 50% na aquisição de bilhetes para os eventos e espetáculos no Teatro do Bairro, sendo que o preço mínimo a pagar por bilhete é sempre de 5€ (cinco euros).

2 - O desconto obtido através do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro não é acumulável com outros descontos em vigor.

3 - O desconto atribuído pelo Cartão de Amigo do Teatro do Bairro não tem qualquer valor monetário, sendo expressamente proibida a sua venda ou troca por dinheiro.

4 - Sempre que pretenda usufruir do desconto do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro, o seu titular deverá fazer essa menção no ato da compra do bilhete, apresentando também o cartão.

5 - O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é válido apenas quando apresentado na bilheteira do Teatro do Bairro, na Rua Luz Soriano, nº 63 ou na Rua dos Caetanos, nº 26, no caso de eventos com venda de bilhetes nesta entrada.

6 – O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro pode não ser válido, excecionalmente, para eventos devidamente identificados no programa.

7 - A adesão ao Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é feita exclusivamente na bilheteira do Teatro do Bairro, na Rua Luz Soriano, nº 63, mediante o preenchimento de uma ficha de adesão e o pagamento de uma anuidade no valor de 10€ (dez euros), já com IVA incluído à taxa legal em vigor.

8 – A adesão ao Cartão de Amigo do Teatro do Bairro não pode ser feita na entrada da Rua dos Caetanos, nº 26.

9 - No ato de adesão ao Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é emitido um documento provisório igualmente válido, que poderá ser utilizado de imediato para usufruir do desconto.

10 – Logo que o Cartão de Amigo do Teatro do Bairro estiver disponível, o seu titular será informado por email, podendo levantá-lo posteriormente no Teatro do Bairro, dentro do horário de funcionamento da bilheteira.

11 – Os dados pessoais dos titulares do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro serão utilizados única e exclusivamente para divulgação da programação do Teatro, caso assim o desejem, garantindo a Ar de Filmes a sua total confidencialidade.

12 – Os titulares do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro receberão, via e-mail, convite para a estreia de todos os espetáculos de teatro produzidos pela Ar de Filmes com apresentação no Teatro do Bairro, sendo esse convite sujeito a confirmação telefónica, mediante a lotação da sala.

13 - O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro tem a validade de um ano, podendo ser renovado na bilheteira do Teatro do Bairro.

14 – A renovação do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro por mais 12 meses implica o pagamento de nova anuidade no valor de 10€ (dez euros), já com IVA incluído à taxa legal em vigor.

15 - O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é pessoal e intransmissível, pelo que poderá ser exigido ao titular a apresentação de um documento identificativo.

16 - Para ser considerado válido, o Cartão de Amigo do Teatro do Bairro deverá ser mantido em bom estado de conservação, não podendo estar ilegível nem danificado.

17 - A Ar de Filmes reserva-se o direito de anular a um titular o Cartão de Amigo do Teatro do Bairro, caso seja detetada fraude ou utilização indevida.

18 - A Ar de Filmes não se responsabiliza por eventuais extravios do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro.

19 - A adesão ao Cartão de Amigo do Teatro do Bairro pressupõe o conhecimento e a aceitação na íntegra deste regulamento.

A Companhia

Teatro do Bairro

 

A Companhia    Para Digressão   Em cena   
Histórico da Companhia

 

Com a abertura do Teatro do Bairro em 2011, criou-se também uma nova companhia de teatro, que nasce já com oito espetáculos no curriculum e uma experiência de sete anos de produções: a Companhia Teatro do Bairro. O grupo de autores, atores, técnicos e colaboradores que, ao longo dos anos, foram trabalhando com a Ar de Filmes - nomeadamente nos seus projetos teatrais - encontrou finalmente uma casa onde pode sedimentar e desenvolver o seu trabalho de forma regular e continuada. A gestão própria dos timings de ensaios e das temporadas das suas criações, sem os habituais constrangimentos inerentes aos calendários sempre muito preenchidos das tradicionais salas de espetáculos, possibilitou assim a consolidação desta companhia teatral, através de uma reflexão ininterrupta que contagia as criações e afirma o caminho artístico previamente traçado. Na direção artística da Companhia Teatro do Bairro está António Pires, que tem desenvolvido um trabalho que se poderia designar como "Teatro Coreográfico" - onde o texto e as imagens se fundem como se de uma coreografia se tratasse. Ao longo do seu percurso artístico, tem apresentado trabalhos a convite de várias entidades, mas é na Companhia Teatro do Bairro que desenvolve o seu trabalho autoral como encenador.

Atualmente, a Companhia do Teatro do Bairro conta com 14 colaboradores fixos, dos quais fazem parte quatro atores que integram regularmente os seus elencos, aos quais se juntam habitualmente atores convidados.

Veja aqui o histórico da Companhia

Veja aqui as encenações de António Pires

A Companhia

do Teatro do Bairro

 

A Companhia   Para Digressão   Em cena

 

MANA, SOLTA A GATA

a partir do universo de Adília Lopes

Duas mulheres gordas. Muito gordas. Tão gordas que andam devagar. Quase não andam. Mas andam e dizem as coisas que a Adília Lopes escreveu, bem devagar. O espectáculo é uma coreografia oriental lenta. Mas só tem 1h30 e, por isso, passa-se rápido. Têm muito que fazer. Há um homem. É mau. Usa botas, cartola e bigode antigo em W. O homem guarda o espaço onde as mulheres fazem o que têm de fazer. Às vezes parece um domador de mulheres gordas. Nada disto é grotesco. Nem o movimento, nem a actuação. É hiper-realista. E tem música a pontuar toda a coreografia. Por isso, “Mana, Solta a Gata” é um Musical Hiper-realista.

Adaptação, dramaturgia, concepção cénica e encenação: António Pires | Com: Hugo Mestre Amaro, João Araújo, Rafael Fonseca | Figurinos: Luís Mesquita | Desenho de Luz: Vasco Letria | Apoio Coreográfico: Paula Careto | Costureira: Rosário Balbi | Adereços: Carla Freire | Ilustração: Joana Vilaverde | Assistente de Encenação: Tomás Nolasco | Administração Financeira: Ana Bordalo | Assessoria de Imprensa: Isabel Marques| Coordenação de Produção: Andreia Luís | Produtor: Alexandre Oliveira | M/14
estreia no Teatro do Bairro
digressão ao Teatro Municipal Joaquim Benite (Almada).

 

 

Pedido de Informações

A Companhia

do Teatro do Bairro

 

A Companhia   Para Digressão   Em cena

 

17 a 26 de Novembro

CABARET ALEMÃO

Teatro Municipal Joaquim Benite

Café-Concerto

Link para comprar bilhete

CANÇÕES:
Allein in einer grossen stadt (Sozinha na grande cidade) | Wachsmann / Kolpe / Marlene Dietrich
Raus mit den männern (Fora com os homens!) | Holländer / Claire Waldoff
Eine kleine sehnsucht (Uma pequena fantasia!) | Holländer
It never was you | Kurt Weill / Judy Garland
Küss die Fascisten! (Beijem os Fascistas!) | Eisler / Kurt Tucholsky
Keine zeit (Não há tempo!) | Rudolf e Herbert Nelson
Alles schwindel (Tudo aldraba!) | Marcellus Schiffer / Mischa Spoliansky

As actrizes Maria Rueff e Sofia de Portugal juntaram-se à dramaturga Luísa Costa Gomes e ao encenador António Pires para imaginarem um Cabaret alemão inspirado nos anos 30, mas partindo de uma (remota) hipótese bem mais próxima dos nossos tempos: e se Portugal fosse ocupado pela Alemanha? Interpretando temas compostos por Rudolf Nelson, Friedrich Holländer e Hans Eisler, e repescando algumas tiradas de Brecht (“Que tempos são estes, em que é necessário defender o óbvio? ”), Maria Rueff e Sofia de Portugal transformam-se em cabaretistas, acompanhadas ao acordeão e ao piano, capazes de fazer-nos enfrentar o lado mais negro dos nossos destinos com a mais infalível das armas: o riso.

Espetáculo a partir de Canções de FREIDRICH HOLLÄNDER, RUDOLF NELSON E HANS EISLER, e de Poemas de KURT TUCHOLSKY, ERIC KÄSTNER, THOMAS MANN E BERTOLT BRECHT; TEXTO: Luísa Costa GOMES; MÚSICA: Gabriel GOMES; ENCENAÇÃO: António PIRES; INTÉRPRETES: Maria RUEFF, Sofia de PORTUGAL e João ARAÚJO; AO PIANO: Pedro SOTIRY; PESQUISA MUSICAL: Mário Vieira de CARVALHO; DESENHO DE LUZ: Vasco LETRIA; VÍDEO: José BUDHA; FIGURINOS: Dino ALVES; CARACTERIZAÇÃO: Ivan COLETTI; ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA: Ana BORDALO; PRODUÇÃO: Ivan COLETTI; PRODUTOR Alexandre OLIVEIRA.

 

Contactos

 

Teatro do Bairro

Rua Luz Soriano, 63 (Bairro Alto),1200-246 Lisboa, Portugal

INFORMAÇÕES E RESERVAS APENAS POR TELEFONE
21 347 33 58 ou 91 321 12 63 (15h - 19h)

 

LEVANTAMENTO DE RESERVAS E VENDAS
Na bilheteira, uma hora antes do espetáculo

 

Para propostas de acolhimento, envie e-mail para
teatrodobairro.geral@gmail.com

 

ACESSOS
Metro: Baixa-Chiado (linhas verde e azul)
Autocarros: 758 e 790 . Elétrico: 28 . Elevador: Bica
Estacionamento: Parques do Largo de Camões e Calçada do Combro

 

Ar de Filmes, lda

R. D. Pedro V, nº60 . 1º dtº, 1250-094 Lisboa, Portugal
213 420 810 | 918 570 774
ardefilmesgeral@gmail.com
www.ardefilmes.org